terça-feira, 18 de maio de 2010

A importância dos mapas para as atividades humanas

A IMPORTÂNCIA DOS MAPAS PARA AS ATIVIDADES HUMANAS
trabalho de graduação de Josimar Tais
22/05/2009
RESUMO

Os mapas existem desde antes mesmo a escrita ter sido inventada. Eles servem para representar alguma parte do espaço geográfico. Existem diversos tipos de mapas, e cada um deles pode apresentar aspectos diferentes, mesmo se tratando de uma mesma região, como por exemplo a vegetação ou características da hidrografia de um lugar. O uso dos mapas pode ser aprendido e estudado nas escolas, além de servir como ferramenta para facilitar o processo de ensino/aprendizagem. Mais do que isso, os mapas contribuem na realização de diversas atividades humanas, como no turismo, na preservação ambiental, nas viagens, etc.

Palavras-chaves: Cartografia; Mapas; Instrumento.

INTRODUÇÃO

Os mapas são importantes instrumentos de orientação e localização no espaço geográfico. Através deles, podemos obter diversas informações referentes não somente à localização, mas também sobre o relevo de uma região, o clima, o tipo de vegetação, a economia, a demografia de um lugar, a hidrografia entre tantas outras.
Antes de entendermos melhor a importância deste recurso cartográfico, vamos conhecer sua origem e seu desenvolvimento ao longo da História.

A CARTOGRAFIA DE ONTEM ATÉ A ATUALIDADE

Aqui consta um breve relato acerca da história da Cartografia. Muito antes do surgimento da escrita, que se deu por volta de 4000 anos a.C., os grupos humanos já representavam de alguma forma os espaços. Usando pedras, pedaços de madeira, tecidos e até mesmo paredes de cavernas, desenhos e inscrições foram feitos para retratarem lugares e atividades das pessoas, os caminhos do Sol, de constelações e outras observações do céu.
Sabe-se que os primeiros mapas foram desenvolvidos nas regiões greco-romanas, no Egito e no Oriente, mas quanto ao mapa mais antigo da história da cartografia, não há um consenso entre os historiadores e cartógrafos. Para alguns pesquisadores, o mapa mais antigo foi confeccionado a cerca de 6200 a.C. e foi encontrado em 1963 em Çatal HüyüK, na atual Turquia (AVENTURAS NA HISTÓRIA, 2009, p. 20). Já para outros, o mapa mais antigo que se tem conhecimento é um gravado em placa de argila e que “foi descoberto em 1930 durante escavações nas ruínas da cidade de Gar-Sur, próximo à antiga Babilônia, em território que hoje pertence ao Iraque [...] provavelmente data de 2500 a. C.” (MOREIRA, 2002, p. 49). No entanto, para outros a primazia ainda cabe aos egípcios, que desenhavam os seus 4000 anos atrás.
Na história da cartografia, os gregos deram um grande impulso dizendo que a Terra era uma criação divina, portanto, deveria ser redonda, pois a esfera era a forma geométrica mais perfeita. Conforme informações da Internet, “os gregos forneceram os primeiros elementos da cartografia como a linha do Equador, trópicos, círculos polares, meridianos; entre os gregos, o nome mais famoso foi Cláudio Ptolomeu (90 a 168 d.C.)” (HISTÓRIA da Cartografia, 2009). Segundo as observações de Ptolomeu, a Terra era o centro do Universo e sua teoria foi adotada pela Igreja Católica durante a idade medieval. Considerada por muitos como a “idade das trevas”, a Idade Média não colaborou com muitos avanços na área da cartografia. Como se sabe, nesse período a Igreja dominava vários setores da vida social, e os mapas da época não escaparam à regra. “Fundamentados em crenças religiosas, os mapas mostravam lugares terrestres misturados a imagens bíblicas. Não havia fronteira entre o mundo humano e o mundo sobrenatural”, comenta Moreira (op. cit.). Em contrapartida, o período seguinte da História foi de grandes e importantes avanços. Nos séculos XV e XVI países europeus como Portugal e Espanha se lançavam ao mar em busca de novas terras e rotas comerciais. Com isso, confirmou-se a esfericidade da Terra. Outro fator que contribuiu foi a invenção da imprensa, proporcionando a reprodução de mapas. Gerardus Mercato foi o maior cartógrafo dessa época e considerado até hoje pela sua projeção do mundo elaborada em 1569 que leva seu nome, além de ter desenvolvido atlas e globo terrestre.
Hoje em dia, a cartografia é uma ciência bastante desenvolvida, e conta com o apoio de muitos recursos tecnológicos para o seu avanço contínuo e cada vez mais preciso. Conforme cita Igor Moreira:

Os cartógrafos utilizam fotografias aéreas e imagens obtidas de grande altura, transmitidas por satélites colocados em órbita a muitos quilômetros de distancia da Terra. Com base nessas imagens, sofisticados equipamentos eletrônicos permitem a confecção de mapas muito fieis aos elementos materiais do espaço humano. (op. cit).

Dessa forma, o uso de mapas e outros tipos de representações do espaço são muito importantes para o auxílio das atividades humanas. É o que veremos a seguir.

OS MAPAS COMO INSTRUMENTOS AUXILIARES PARA O SER HUMANO

Após convivermos determinado tempo em um mesmo lugar, passamos a conhecer as características desse lugar, como estradas, ruas, pontos de referência, áreas de risco, áreas de lazer, setor industrial, área ambiental ou qualquer outra coisa que o identifique. Mas quando não temos muita noção de onde estamos e para onde vamos? É para isso que servem os mapas, para nos orientar e localizar no espaço geográfico. “Mapa é a representação de uma área geográfica ou parte da superfície da Terra, desenhada ou impressa em uma superfície plana”. (WIKIPEDIA, 2009).
Certamente seria impossível sobreviver sem a existência desse instrumento, fato comprovado já na Pré-História, quando os primeiros povos faziam registros e desenhos em paredes para se orientarem, gravarem lugares onde estariam protegidos ou onde poderiam encontrar alimento. Posteriormente, rotas de comércio, cidades importantes, rios e montanhas eram representados em papiro, madeira, pedras ou em qualquer outro material.
Hoje, o uso de mapas está presente em salas de aula, locais de trabalho como no campo turístico, por exemplo, serve para a localização pessoal, ajuda na preservação ambiental entre outras infinidades de funções.

Os mapas representam e sintetizam informações históricas, políticas, econômicas, físicas e biológicas de diferentes lugares do mundo. No passado, eles eram documentos confidenciais, que circulavam somente entre aqueles que participavam do poder. No presente, conhecer o funcionamento, as diferentes funções dos mapas e saber utilizá-los ajuda a resolver problemas cotidianos de planejamentos e projetos. (A importância dos mapas e dos Atlas, 2009).

Nas salas de aula, os mapas contribuem para o ensino da Geografia e até mesmo da História. Nesta última, podemos observar as mudanças na estrutura política dos países decorrentes das guerras e conflitos por territórios. Em Geografia, especificamente, podemos estudar e analisar diversos fatores através do uso da Cartografia, como por exemplo, o estudo da hidrografia, do relevo, do clima, da demografia, da economia, etc. Segundo as propostas dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCNs):
“O estudo da linguagem cartográfica, tem cada vez mais reafirmado sua importância, desde o início da escolaridade. Contribui não apenas para que os alunos venham a compreender e utilizar uma ferramenta básica da Geografia, os mapas, como também para desenvolver capacidades relativas à representação do espaço” (PCN, 1999, p. 118).

Assim sendo, desde o período escolar os mapas ganham importância na vida do ser humano. Primeiramente, é importante aprender a fazer a leitura de um mapa, saber interpretá-lo para tomar consciência de suas informações para que através delas possamos tomar decisões. E são muitas as informações que um mapa pode fornecer, dependendo do tipo de mapa:
Para que um mapa possa conter uma grande quantidade de informação de fácil leitura, deve-se empregar um sistema de símbolos, que são definidos nas legendas (convenções). A localização de um ponto no mapa pode ser definida com precisão pelos graus, minutos e segundos de latitude e longitude. Os mapas são orientados de modo que apresentam uma rosa-dos-ventos que indica a direção do pólo magnético. A escala em que um mapa é desenhado representa a relação entre as dimensões dos elementos representados no mapa e a dimensões reais desses mesmos elementos na superfície da Terra. As formas das curvas de nível são uma representação exata das formas das elevações e das depressões, e as curvas propriamente ditas mostram as altitudes reais. Os diversos métodos usados para se obter um mapa plano da superfície terrestre são denominados projeções e são classificados como projeções geométricas e projeções analíticas. (O QUE É MAPA, 2009).

Portanto, os mapas nos proporcionam um conhecimento do espaço em que vivemos e até a compreensão de lugares que nunca fomos.
Mas não é somente no campo educacional que a Cartografia ganha destaque. Talvez seja no ambiente escolar que aconteça o primeiro contato com instrumentos de localização, como os mapas, globos e outros, mas esse conhecimento servirá para algo além da sala de aula. Para muitos, a relação com os mapas acaba se tornando profissional, ou então uma ferramenta muito importante para a realização de seu trabalho, começando pelos cartógrafos, e por que não os próprios professores de geografia? Os mapas são recursos básicos para outros diversos profissionais, como taxista, navegador, piloto de avião, caminhoneiro, corretor de imóveis, administrador público, etc. na administração pública, por exemplo, os mapas colaboram no planejamento e desenvolvimento territorial, ambiental, social e econômico de regiões, estados e municípios. No setor elétrico, os mapas contribuem na identificação de pontos estratégicos para geração de energia elétrica, projetos de usinas hidrelétricas, controle das linhas de transmissão e das redes de distribuição. Os mapas são, inclusive, aliados do maio ambiente, por meio deles pode-se fazer um controle e fiscalização de parques, reservas, recursos naturais e áreas degradadas. Identificação de fontes poluidoras. Zoneamento ecológico econômico. Planos de gestão ambiental. Controle e fiscalização de áreas com reflorestamento. Acompanhamento de desmatamentos e queimadas. Estes são apenas alguns exemplos. A utilização de mapas é imprescindível para dar início a qualquer realização humana, seja para reconhecimento de território, planejamento, execução e desenvolvimento. Por isso, mesmo que seja básico, o conhecimento acerca da cartografia e uso de mapas é essencial para o ser humano.
CONCLUSÃO

Desde a Pré-História, os grupos humanos já faziam representações cartográficas dos espaços que conheciam. Para isso, usavam pedras, pedaços de madeira, tecidos e até mesmo paredes de cavernas. Isso significa dizer que o ser humano sempre teve a necessidade de se orientar no espaço. Os gregos foram grandes colaboradores para o avanço da cartografia, entre eles, Ptolomeu se destacou e sua teoria geocêntrica foi tida como verdadeira durante praticamente toda a Idade Medieval. Aliás, nesse período da História a cartografia pouco se desenvolveu.
No momento seguinte da História, mais exatamente na Idade Moderna, a cartografia experimentou seu maior avanço, proporcionado pelo conhecimento de novas terras e de novas técnicas decorrentes do processo de navegação marítima.
Atualmente sabemos que a confecção e o aperfeiçoamento dos mapas contam com o apoio tecnológico dos satélites, da aerofotografia entre outros recursos sofisticados que oferecem ao ser humano muita precisão de informações.
Os mapas são um importante instrumento para a realização do trabalho humano. Como vimos, diversas profissões se fundamentam no uso cotidiano de mapas e aparelhos de localização e de orientação espacial. Dessa forma, ter conhecimento do manuseamento dessa ferramenta cartográfica é praticamente obrigatório para não nos perdemos no espaço.


REFERÊNCIAS

A IMPORTÂNCIA DOS MAPAS e dos Atlas. Disponível em: http://www.construirnoticias.com.br/asp/materia.asp?id=506. Acesso em: 22 mai. 2009.

Dos mapas ao GPS. Aventuras na História. São Paulo: Abril, p. 20, jun. 2009.

HISTÓRIA da Cartografia. Disponível em: http://www.uff.br/geoden/index_historia_cartografia_geodef.htm. Acesso em: 22 mai. 2009.

MOREIRA, Igor A. G. Construindo o espaço humano. São Paulo: Ática, 2002.

O QUE É MAPA. Disponível em: http://www.edumedeiros.com/geografia/mapas.php. Acesso em: 23 mai. 2009.

PCN. Parâmetros Curriculares Nacionais. Brasília: Ministério da Educação, 1999.

WIKIPEDIA. Mapa. Disponível em : http://pt.wikipedia.org/wiki/. Mapa Acesso em 23 mai. 2009.

3 comentários:

Adalberto Day disse...

Josimar
Parabéns pelo seu belo trabalho. Sem mapas, ou qualquer instrumentos que nos oriente, não seramos bem sucedidos. Seu trabalho é importante para orientação a todos nós. Trabalhos de Geografia, História, ou conhecimentos gerais, fazem partes de nossas necessidades básicas de conhecimento e localização.
Adalberto Day
Cientista social e pesquisador da história

Anônimo disse...

serviu de base ao meu trabalho mas não especificou o que queria,mesmo assim parabens pelo trabalho

Anônimo disse...

Very good, very good, very good!!! Estava desde 9:00 da manhã procurando algo bom para o meu trabalho de geografia sobre a história dos mapas... quando chega agora (19:52) encontro esse site que respondeu quase todas as perguntas sobre o trabalho... parabéns me ajudou bastante.... ajudou demais!!!